quinta-feira, 5 de novembro de 2009

O Coveiro de Sitleen

Três mil cento e vinte habitantes. Esse é o número de pessoas que moram na pequena e chuvosa cidade de Sitleen. Nessa cidade havia uma história que contava sobre um coveiro chamado Bricks que assustava as crianças que passavam em frente ao cemitério á noite. Minha mãe me contava isso quando eu era menor, agora cresci e sei que isso não passa de uma lenda boba.
Ah! Esqueci de me aprensentar. Sou Katrina Reed, mas todos me chamam de Kattreed. Tenho 17 anos e moro com meus avós. Meus pais moram no Alaska, eles são pesquisadores e estão passando uma teporada lá.
Bom, voltando as assunto da lenda boboca do tal coveiro... Contei essa história ao meu sobrinho de 7 anos, chamado Colle. Como ele é pequeno, ele ficou muuuito assustado (exatamente a mesma reação que tive quando ouvi essa lenda urbana pela primeira vez) e acabou acreditando. Colle era muito aventurereiro, e desafiando as regras da lenda, ousou a passar em frente do cemitério de Sitleen. Como não houve nada, Colle insatisfeito entrou no cemitério e procurou por Bricks. Como eu estava em casa, sentia a falta dos barulhos de seu video-game. A primeira coisa que surgiu em minha mente foi que Colle e seu espírito aventureiro foram no cemitério procurar o coveiro da lenda. Vesti meu roupão de seda verde (pois estava com pijama) e fui direto ao cemitério.
Quando cheguei, a aparência do local era a mesma. Muros velhos, altos e sombrios, com rachaduras e pichações, provavelmente feita por vândalos idiotas. Entrei correndo pelos gigantes portões e olhei fixamente para cada túmulo, mais o máximo que eu conseguia ver eram esculturas escuras. Fui adentrando no cemitério e percebi que desde a última vez que entrei lá, nada tinha mudado.
Sentei no cruzeiro e observei tudo ao meu redor. Vi uma sombra e fui em direção dela. Era algo pequeno e beeem magro, juro que a primeira impressão que veio em minha cabeça, foi que era um esqueleto. Naquela hora, eu não tinha medo de nada, só pensava em encontrar meu pequeno Colle. Fiquei lado a lado com a sombra pequena e rapidamente me dei conta de que não era Colle. Era um coveiro - ou alguém com roupas de coveiro - segurando uma enxada com uma das mãos e na outra uma cabeça suja de terra. Desesperada, olhei para o buraco da cova. Vi um corpo, mais sem cabeça. Era o corpo de Colle. Deu um berro muito agudo e o homem que aparentava ser um coveiro ERA UM COVEIRO! E mais precisamente o COVEIRO BRICKS. Estava paralizada e uma voz rouca sussurrou:
- Só falta você!
THE END.
ee aew ? gostaram ? eu fiz com minha amiga Giovanna Gonçalves de Lima. coments please o/
bjs ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário